NETFUT
Notícias de futebol

Brasil empata com Equador em jogo caótico

Jogos de futebol podem ser verdadeiras guerras, principalmente dentro do futebol sul americano onde costumamos levar a raça muito mais a sério do que no velho continente.

Podemos puxar na memória diversos jogos onde os ânimos se excederam, e os jogadores jogaram firmes, com entradas duras,às vezes até desleais com a força que aplicavam nas jogadas.

Porém, isso tudo sempre tinha algo em comum: o contexto. Jogos assim geralmente tinham muito em jogo. Seja uma vaga para a grande final, um título, ou pelo menos um clássico de dois times com uma história gigantesca juntos.

Porém, ontem na partida entre Equador e Brasil lá em Quito, tivemos uma partida caótica, cheia de faltas, machucados e expulsões, e em um jogo que não valia nada que o Brasil já não tivesse.

Jogo duro

Podemos começar falando especificamente da jogada mais feia do jogo, mais feia até que uma outra jogada parecida que aconteceria pouco tempo depois. O goleiro equatoriano Dominguez saiu com os pés e literalmente atingiu o pescoço do atacante brasileiro Matheus Cunha. A jogada foi muito dura e todos se preocuparam muito com o jogador brasileiro, que acabou ficando com uma marca bem feia em seu pescoço, e Dominguez por sua vez foi expulso.

Não muito tempo depois, Alison protagonizou uma cena igual, que também fez com que fosse expulso após acertar o pescoço de um jogador do Equador. Porém o VAR intercedeu, e as imagens mostraram que o goleiro acertou a bola antes de acertar o jogador, com isso o cartão vermelho foi anulado, e ele ficou com o amarelo.

Mas isso não significa que o Brasil ficou com um a mais, já que também no primeiro tempo Emerson Royal conseguiu ser expulso, e aí tudo mudaria.

Chances perdidas

De todos os jogadores em campo, o teste maior era para o lateral Emerson e para Philippe Coutinho. Enquanto estava tendo a chance de ser titular em uma posição já com dois nomes grandes, só outro estava tendo sua grande chance de retorno à seleção, e a duas chances foram por água abaixo quando Emerson foi expulso.

As duas porque sem Emerson, Tite tinha que sacrificar alguém para repôr o lateral, e Coutinho acabou sendo o escolhido. O treinador inclusive pediu desculpas ao jogador quando ele saiu de campo, deixando claro que era uma decisão tática e nada mais do que isso.

Time desorganizado

Ninguém estava esperando a partida Caótica que tivemos e a seleção acabou ficando muito bagunçada depois das expulsões, com dificuldade de se organizar principalmente na defesa, com Daniel Alves entrando mal em campo.

Casemiro e Fred acabaram sendo os dois grandes jogadores da partida, com o primeiro volante do Real Madrid inclusive balançando as redes. Os dois juntos conseguiram misturar marcação com movimentação, e foram a única coisa boa da seleção nesta partida.

No fim, o Equador conseguiria o empate, fazendo com que esse fosse um dos jogos mais bizarros da seleção de que se tem memória.