NETFUT
Notícias de futebol

Paulo Sousa afirma que a decisão de Vitinho bater pênalti foi tomada entre os jogadores

A partida entre Atlético Mineiro e Flamengo finalmente aconteceu, e foi uma Supercopa para lá de emocionante, com empates heróicos durante o tempo regulamentar, e uma cobrança de pênaltis que teve 24 cobranças no total.

Leia: Os 5 jogadores mais caros do flamengo na atualidade

Os fãs de futebol sabem da regra mas não estão acostumados a ver uma disputa onde os 11 jogadores dos dois times cobram, e mesmo assim a disputa não acaba, precisando assim começar de novo a ordem das cobranças.

Mas isso acontece com uma diferença muito importante que foi notada por todos na tarde de ontem: a ordem não precisa ser igual a original. Isto é, a partir do momento que começa de novo, o treinador não precisa mais seguir a lista que ele fez anteriormente e pode escolher quem bate conforme as batidas vão acontecendo.

E quando Vitinho foi o escolhido para bater ao invés de Gabigol, melhor cobrador do time, e errou, a torcida passou a se perguntar de forma irritada porque Vitinho foi escolhido.

E o treinador do Flamengo comentou o assunto, alegando que as decisões foram todas tomadas juntas, que queria bater que se sentisse melhor e quisesse bater, deixando claro que a escolha foi entre os jogadores.

– Quando nós decidimos os cinco primeiros, e a ordem dos cinco primeiros, e decidimos com a equipe e com todo o elenco que as decisões tomadas após esses mesmo cinco, ou seja, se houvesse a continuidade, que quem se sentisse melhor, entre eles tomasse as decisões.

Vale lembrar que apesar de Gabigol ser o principal cobrador de pênaltis do time, Vitinho realmente é o segundo na linha de batedores, tendo feito o gol na primeira cobrança que fez durante as 11 primeiras e sempre cobrando quando Gabigol não está.