NETFUT
Notícias de futebol

“Eu sempre tomo cuidado”, diz Cuca sobre vantagem construída pelo Atlético Mineiro na Copa do Brasil

O Atlético Mineiro entrou em campo na noite deste domingo no primeiro de dois jogos válidos pela grande final da Copa do Brasil, e apesar do jogo ser composto por duas equipes, só se viu o Galo em campo. O Furacão acabou sofrendo muito com a pressão atleticana durante a partida, que controlou o jogo todo pressionando a saída de bola e construindo muitas chances de balançar as redes, convertendo 4 vezes, fazendo uma diferença elástica para a segunda partida da final.

Obviamente uma diferença de gols desse tamanho fez a torcida do Atlético ficar extremamente feliz e confiante, com o time chegando a gritar “Olé” durante o final da partida.

Apesar disso, essa confiança toda vai ficar realmente apenas para a torcida, afinal, o treinador do time, Cuca, já deixou claro que a sua abordagem para esse tipo de situação é o cuidado e o respeito em primeiro lugar. O treinador deixou isso bem claro em sua coletiva após a partida, onde deixou claro que o time esta sim muito feliz e tem consciência de quão grande é essa vantagem, mas que ele sempre toma cuidado com esse tipo de placar.

– Estamos muito felizes. Vencemos a primeira das duas batalhas, abrimos uma boa vantagem e passamos toda a energia para quarta-feira, guardar energia para quarta-feira. (…) A gente está muito contente, faltam três dias para acabar o ano. Guardar toda energia, com humildade e respeito ao Athletico, que fez e faz uma grande temporada, e a gente tem que tomar cuidado. Eu sempre tomo cuidado. Outro dia fizemos um placar assim e ia jogar com o Fortaleza e a gente teve todo cuidado do mundo, todo respeito e a gente tem que agir assim.

Vale lembrar que assim como Cuca disse, o Atlético conseguiu abrir uma vantagem muito parecida contra a equipe do Fortaleza na semifinal da Copa do Brasil, e naquela ocasião o time teve exatamente a mesma abordagem que através de Cuca tudo indica que irá ter novamente. Tudo com muito respeito e jogando sério para tentar matar a partida, sem subestimar o adversário em nenhum momento.

Afinal, se essa é a final com a maior distância de gols entre as equipes, uma remontada seria não só o maior feito da história do Furacão como seria também o maior vexame da história do Atlético Mineiro.

Cuca afirmou ainda que essa vantagem não vem apenas do seu mérito como treinador, levantando a bola de Igor Rabelo no processo, afirmando que o jogador ficou muito tempo sem jogar e sem reclamar de nada, exaltando seu profissionalismo.

– É importante demais você ter uma vantagem assim, sem tomar gols, porque dá uma confiança maior. Porém, o mérito não é meu, é do Igor Rabello. Ficou tanto tempo sem jogar, nunca reclamou de nada, é um baita profissional. Assim como ele, outros… como o Dodô, que jogou (contra o Grêmio), fez gols, o Sasha que entra… Enfim, eu vou acabar esquecendo alguém e não vou mais citar nomes porque quero generalizar o profissionalismo que eles têm. E pegar como exemplo o Igor Rabello que não à toa fez uma grande partida.