NETFUT
Notícias de futebol

Conselheiro do Atlético Mineiro afirma que time não precisará mais de empréstimos para 2022

Ter um bom ano no futebol não significa ter um bom ano financeiro, assim como ter um ano ruim na bola não significa ter um ano financeiro ruim. Por muito tempo o Manchester United foi um bom exemplo disso, com os seus donos lucrando milhões ao fim de uma temporada mesmo o time terminando a Premiere em sétimo lugar.

Aqui não é diferente, mas vamos no extremo oposto, onde mesmo um time campeão pode terminar com o lado financeiro negativado. E essa era uma dúvida sobre o Atlético Mineiro, uma vez que o Galo apesar do bom momento, bom futebol e grande elenco, possui uma dívida gigantesca, que pode gerar muitos problemas no futuro.

Porém, quem veio acalmar os ânimos de quem estava preocupado com esse lado financeiro foi Rubens Menin, conselho do Atlético Mineiro. Inicialmente, ele disse que com o tanto de dinheiro que entrou no clube nesta temporada, o clube acabou de fato sem dever nada nesta temporada, porém, com o dinheiro que sobrou o time vai quitar algumas dívidas importantes, como algumas com a própria Fifa.

– O Atlético tem uma disciplina, um planejamento financeiro que faz a diferença. A gente não vendeu R$ 100 milhões em direitos de jogadores. Mas tivemos mais receita de bilheteria, mais receita de patrocínio, de Manto da Massa. Premiação melhor. Uma série de coisas. Um saldo positivo. Moral da história? Acabamos 2021 com o caixa sem dever nada. E ainda pagando um dinheirão de dívidas passadas, como as da Fifa.

Mas mais importante do que isso, Rubens deixou claro que o Atlético não vai precisar aumentar ainda mais as suas dívidas. O time, entre dívidas e empréstimos passados, deve mais de 1 bilhão de reais, sendo no momento a dívida mais alta de todo futebol brasileiro. Atualmente, as dívidas do Atlético Mineiro somadas são ainda maiores que as de Corinthians, mesmo com o estádio ou o Cruzeiro e o Botafogo.

– Em 2022, não será necessário nenhum empréstimo, porque o grosso dos problemas já foi sanado. E em 2023 teremos nossa arena, que aumentará ainda mais nosso orçamento. Sou muito otimista, mas muito realista. Vejo um caminho sensacional para o Atlético. Eu tenho que destacar, antes, a diretoria do Atlético. O nosso presidente, que é um monstro. O vice, os diretores, são todos muito competentes. E a torcida do Atlético. Não existe um clube de futebol gigante sem uma torcida por trás. E não há torcida como a do Galo, é diferenciada, todo mundo sabe disso. É o maior patrimônio do clube – comentou Rubens.

Lembrando que o poderoso elenco montado pelo Atlético Mineiro nestes últimos 2 anos foram em maior parte com dinheiro vindo de empréstimos, e com o sucesso futebolístico atual, eles esperam que mais dinheiro entre para que as dívidas possam ser pagas aos poucos. O dinheiro da construção do estádio também veio de forma parecida, e é esperado que ele traga muito retorno financeiro a equipe a longo prazo.