NETFUT
Notícias de futebol

Jogos que foram decididos no último lance

Todos sabem que apesar dos 90 minutos mais acréscimos e prorrogações, o futebol é um esporte que normalmente é decidido em um lance, em segundos, que podem salvar um time ou acabar com sonhos construídos ao longo de uma temporada inteira.

E talvez seja justamente por isso, que existem muitos casos de lances nos últimos segundos de jogo que acabaram dando ou tirando títulos ao longo da história, e é exatamente disso que vamos falar hoje, jogadas que foram decididas no último lance.

Manchester United e Bayern de Munique, final da Champions de 1999

Manchester United 2 x 1 Bayern de München – foto: reprodução/internet

Agora vamos falar do grande motivo que faz com que Ole Solskjaer ainda seja técnico do Manchester United. Tudo na vida tem um “porque”, inclusive no futebol.

Em 1999 o Manchester United de Alex Ferguson, estava tendo um problema gigantesco na final da Champions daquele ano contra o Bayern de Matthaus, lendário jogador que deu um tremendo trabalho naquela partida. Com apenas 6 minutos de jogo, os alemães abriram o placar em uma cobrança de falta, e dali para frente dominaram o jogo completamente. No segundo tempo, o time ainda conseguiu meter duas bolas na trave, uma até de bicicleta.

Mas aparentemente quem não faz leva na Europa também, e sendo famoso por virar partidas nos acréscimos, ou no Fergie Time como chamam por lá, Ferguson mandou para campo Teddy Sheringham, que desviou um chute de Giggs para empatar a partida, isso aos 46 do segundo tempo.

Depois disso outro jogador saiu do banco, Ole Solskjaer, hoje técnico do United, que em cobrança de escanteio já aos 48, a bola chegou no seu pé, onde o jogador estava para mandar para o fundo do gol. 2 a 1, uma virada histórica no fim do confronto, o qual Matthaus hoje classifica como um filme de terror.

Chelsea e Bayern de Munique, final da Champions edição 2012

Didier Drogba comemora o título da Champions League 2012, Bayern de München 0 x 3 Chelsea – foto: UEFA.com

O roteiro foi parecido, um Bayern dominante durante todo o jogo, mas que só conseguiu abrir o placar aos 38 minutos do segundo tempo.

Tudo parecia ganho, até que Drogba conseguiu uma cabeçada poderosa para o gol empatando tudo aos 43 do segundo tempo. O jogo dessa vez foi para a prorrogação, onde o próprio Drogba cometeu um pênalti.

Robben foi para a bola pronto para ser herói, porém Peter Cech foi o verdadeiro herói, fazendo uma defesa incrível e levando o jogo para os pênaltis, e lá foi o herói novamente. Duas histórias de vice que o time bávaro nunca vai esquecer.

Atlético de Madrid x Real Madrid, final da Champions de 2013

Real Madrid comemora o décimo titulo da Champions. Lisboa, maio de 2014 – foto: UEFA.com

 

Agora vamos roubar um pouco as regras e falar de um lance que acabou com um time, mas não necessariamente com o jogo.

Acontece que em 2013, a grande final da Champions foi madrilenha. Isso porque Atlético e Real se enfrentaram, com o time de Simeone abrindo o placar cedo, e como é de costume após fazer o primeiro, se fechou completamente, com o Real não conseguindo furar a defesa de forma alguma.

Porém aos 48 minutos do segundo tempo, Sergio Ramos subiu de cabeça em um escanteio, e com uma finalização perfeita, melhor que a de muitos atacantes, o zagueiro fez história empatando o jogo e imortalizando o “92:48”, minutagem do gol que é lembrada até hoje.

O jogo não acabou ai, já que o empate levou para a prorrogação. No entanto, o Atlético sentiu tanto, mas tanto o gol, que voltou irreconhecível e foi atropelado pelo Real com 3 gols, vindos de Bale, Marcelo e Cristiano Ronaldo. Podemos dizer que a goleada acabou com o time.