NETFUT
Notícias de futebol

Dia de decisão! Quem pode ser herói e quem pode ser vilão hoje, no Athletico?

A grande semifinal da Copa Sul-Americana finalmente chegou e agora o Athletico-PR tem o dever de levar essa vitória para casa e ir para uma decisão brasileira na final contra o Bragantino.

Tem sido uma grande campanha do Furacão, que parecia que iria derrapar em alguns momentos, mas mesmo assim,  novamente eles estão sem uma semifinal, já tendo disputado e vencido a edição de 2018 do campeonato.

Sabemos quão aguerridos os jogadores foram, e por isso hoje vamos levantar aqui hipóteses de jogadores que podem ser os grandes heróis da competição, e aqueles que mesmo sem querer podem ter papel de vilão.

Vilão

O fato do jogador ter uma grande sequência como titular não necessariamente quer dizer que ele seja um favorito ou algo assim. Essa é uma impressão errada, já que por vez, ou o jogador é agradável para o treinador e não para torcida, ou outra, ele não é para nenhum dos dois mas é a única opção que o time tem.

Esse contraponto deve ser o motivo do porque Richard tanto joga. O volante teve bons momentos, mas acompanhadas de algumas trapalhadas, e se a torcida espera que alguém faça alguma coisa errada, sem dúvidas é ele.

Herói

O Athletico é um time com experiência nesta competição. O time não só já levantou a taça 3 anos atrás, como até hoje possui alguns jogadores que fizeram parte daquele elenco. E queremos citar que a experiência deles pode fazer a diferença.

Nikão é um deles, e além de ser um grande jogador, sabe muito bem como é a pressão de jogar essa final e se a defesa do Peñarol bobear, sem dúvidas que o jogador vai dar um jeito de achar um passo em profundidade, um cruzamento ou mesmo um gol.

Vilão

Todos sabemos que a Copa Sul-Americana é um torneio praticamente irmão da Libertadores, e por isso temos sempre que nos atentar a erros que os clubes comentem em um torneio para evitar que ele se repita em outro.

E é por isso que vamos colocar Terans aqui, porque o jogador pode ter um papel parecido com o de Vargas do Atlético Mineiro no jogo. O atacante até marcou um gol mas perdeu tantas chances claras que no fim acabaram fazendo muita falta. O torcedor espera que o jogador esteja com o pé calibrado.

Herói

Em jogos como esse o time precisa de mais do que os 11 titulares para passar de fase. Ter um banco forte com peças que podem entrar e resolver, é muito importante para qualquer time que dispute um campeonato grande.

E poucos times no Brasil tem o luxo de poder ter Pedro Rocha a disposição quando for necessário. O jogador foi decisivo no jogo de ida, e nada impede que seja novamente no jogo de volta, tal qual, foi Bruno Henrique pelo Flamengo na semifinal da Libertadores.

Assim que Autuori chamar, o jogador vai estar pronto para entrar em campo.