NETFUT
Notícias de futebol

Alguns fatos sobre jogar na altitude

A Pré Libertadores chegou, e o primeiro desafio do Fluminense nesta competição é lidar com a extrema altitude para enfrentar o Millonarios da Colômbia, lá em Bogotá.

Os fãs do futebol brasileiro com certeza se lembram dos momentos onde seus times tiveram que jogar na altitude, e absolutamente ninguém tem uma boa memória disso. Porque por mais que o seu time tenha vencido, você sabe que com certeza não foi nada fácil, e certamente não é o tipo de jogo que os jogadores gostam de jogar.

Por isso hoje vamos lembrar de alguns fatos sobre como é jogar na altitude.

Os jogadores vão se cansar e muito!

Vamos começar a apontar o básico. Jogar na altitude é um desgaste muito maior, porque o ar simplesmente não entra nos pulmões. A ciência por trás disso é simples: quanto mais alto você está, menos ar você tem para respirar, e no caso de se jogar em Bogotá, onde o Flu vai jogar por exemplo, você estaria a 2.640m acima do nível do mar.

Isso é o suficiente para que alguém possa ficar com falta de ar, ter tonturas, ânsia de vômito e até desmaiar dependendo das circunstâncias.

Cilindros de oxigênio

Até por tudo isso que dissemos acima, não é estranho ver pessoas nos estádios com máscaras de oxigênio. Claro que não os locais, mas sim os jogadores visitantes. Isso inclusive acaba sendo quase sempre uma regra, principalmente dos jogadores que saem do jogo no segundo tempo. Eles sentam no banco de reservas e, automaticamente, pegam uma máscara de oxigênio.

Isso porque assim que o corpo para de ser tão ativo como em um esporte de alta performance, ele vai puxar mais ar, em na altitude o ar simplesmente não vem. É uma imagem que chega a ser assustadora, só de imaginar como a sensação deve ser.

O feito da bola

Mas o ar rarefeito não afeta apenas o pulmão das pessoas, mas também afeta a física. Isso porque os chutes acabam sendo muito mais venenosos dentro da altitude. Como existe menos ar para se fazer atrito, as bolas tendem a pegar velocidades muito maiores, o que pode acabar enganando um goleiro desacostumado.

Para se ter ideia, o Flu optou por jogar com Fábio na partida, exatamente porque por mais que Marcos Felipe esteja em boa fase, o goleiro nunca enfrentou um time na altitude, algo que Fábio tem mais experiência.

O costume ao ar rarefeito

Geralmente times brasileiros gostam de viajar para o país da altitude bem antes do jogo, para que seus jogadores possam treinar por lá e se acostumar com o ar, o que não funciona 100% mas já ajuda.

Curiosamente, a altitude é boa para um clube no duelo, mas costuma ser ruim para as seleções. Como a seleção da Colômbia reúne seus melhores jogadores, muitos deles jogam na Europa e não estão mais acostumados a altitude, e em jogos da Colômbia fica muito claro quem joga no país e quem já não joga a algum tempo.