NETFUT
Notícias de futebol

Recurso de Robinho é negado e jogador é condenado a 9 anos de prisão por violência sexual em grupo em última instância

Ontem o jogador de futebol Robinho foi julgado em última instância na justiça italiana pela acusação de violência sexual em grupo. O jogador já havia sido condenado a 9 anos de prisão pelo crime, mas recorreu o quanto pode sobre o assunto.

O jogador então foi julgado ontem na última instância possível da justiça italiana, e após apenas meia hora de sessão o recurso foi negado, e horas depois sua sentença veio confirmando os 9 anos de prisão.

Durante a sessão, o advogado de Robinho escolheu como estratégia falar sobre a vida pessoal da vítima, e tentar justificar o ato como se ele, por conta de sua vida pessoal, de alguma forma estivesse procurando pela violência sexual, algo que foi prontamente rechaçado pelos juízes, chamando a atenção do advogado e ordenando que ele tomasse cuidado com o que dizia.

A vítima, inicialmente escolheu não estar presente, por não se sentir confortável perto de seus agressores, no entanto, seu advogado a convenceu de que a melhor coisa a se fazer era estar presente na última instância.

No entanto, nem tudo foi bom para a vítima, já que Robinho, caso voltar ao Brasil, não precisará cumprir sua pena logo de cara. Isso porque as leis brasileiras proíbem a extradição de pessoas daqui para outros países, dessa forma, a justiça brasileira não precisa nem entregá lo a justiça italiana e nem fazer com que ele cumpra a pena por aqui.

Análise de recurso de Robinho, Corte de Cassação, Roma – Itália – foto: via twitter Lucas Ferraz

Desta forma, Robinho seria um foragido da justiça, e caso a Itália emita um mandado de prisão, o que provavelmente eles fariam se esse for o caso, o jogador não poderia mais pisar em nenhum país parte da União Europeia, já que por todos os países têm um acordo de entrega em foragidos da lei.

O Advogado da vítima, sabendo de como as coisas são no Brasil, fez um apelo para que a nossa justiça coopere com o caso, e ajude a levar o jogador à justiça.

– Mais de 15 juízes analisaram o caso em primeira, segunda e terceira instância e confirmaram o relato da minha cliente. Agora é preciso ver como será o cumprimento dessa pena, o Brasil é um grande país e espero que saiba lidar com essa situação – Disse o advogado, que completou dizendo:

– Para nós, a sentença deve ser cumprida. Se fosse na Itália, ele iria para a prisão. Agora a bola estará com o Brasil, que tratará isso com base na sua Constituição.

A pena passa a valer em 30 dias, tempo suficiente para que o jogador possa sair do país legalmente, então no fim a justiça brasileira vai realmente ser importante no caso. O que não se sabe ainda é se Robinho vai preferir viver uma vida como foragido da lei italiana no Brasil, tendo poucos países onde poderia ir sem ser preso logo no aeroporto, ou se o jogador vai pagar por seus atos frente à justiça.