NETFUT
Notícias de futebol

Pablo deve receber chance com Rogério. Como pode ser diferente?

Com Calleri e Rigoni machucados, o São Paulo está se vendo contra a parede, sem muitas opções de jogadores para colocar no ataque. Com isso, o time foi praticamente forçado a dar uma nova oportunidade para Pablo.

Atualmente, o atacante deve ser o jogador mais contestado por toda a torcida tricolor. Conhecido dentro do clube por perder gols decisivos, Pablo já teve mais de uma chance no elenco, e embora até marque alguns gols, acabou ficando conhecido por perder chances de ouro, como foi na Libertadores contra o rival Palmeiras.

Mas com essa nova chance sendo algo que nem clube e nem treinador podem evitar, o que pode ser feito de novo para que as coisas mudem? O que Pablo pode fazer e o que Rogério pode fazer para que o jogador finalmente possa valer o valor investido? Já que seu contrato foi totalmente renovado por uma cláusula de número de participações em jogo. Vamos falar sobre isso agora.

Pablo não é um camisa 9

Isso pode parecer estranho, já que o jogador tem porte de camisa 9. Porém, temos que levar em consideração seus melhores anos no clube que o revelou. E duas coisas evidenciam o fato do jogador  não ser um homem de área.

Uma delas é o número de gols, e a outra é a sua posição. Pablo não jogava centralizado em seus dias de glória no Athletico, por lá ele jogava ou na entrada da área ou pelos lados, praticamente como um segundo atacante, e por lá, ele mais armava o jogo do que fazia gols, dando muitas assistências e pré assistências.

Rogério deve ter isso em mente na hora de posicionar o jogador, e deve ter em mente também que ele não vai ser o nome que vai entregar o maior número de gols na temporada.

Treino de finalização

Ok, Pablo não é um 9 e também não é um artilheiro, mas isso não significa que o jogador possa perder os gols que perdeu. E para resolver essa questão nada melhor que o goleiro com a maior pontaria de todos os tempos para ajudar. Rogério tem que treinar finalização com o jogador, para que, nas chances que tiver, ele não disperse, criando um balanço de um jogador que pode armar mas que pode dar no gol sempre que necessário.

Passar confiança ao jogador

Apesar de criticarmos Pablo, temos que lembrar do lado humano da coisa. oOjogador sem dúvida alguma não tem como estar com a lente perfeita dentro de tantas críticas, erros e poucas chances, e cabe a Rogério falar com o jogador para que ele possa dar o seu melhor e dar a volta por cima.

Sabemos o quanto o nervosismo pode atrapalhar, e se o jogador não tiver calma vai acabar queimando mais uma chance, essa que pode ser a sua última na equipe.

A posição correta

Como já dissemos, Pablo não é o melhor para jogar centralizado, e para a sorte do São Paulo, talvez Rogério tenha em mãos uma boa formação para usá-lo.

Acontece que Pablo também não é um velocista, como um ponta, ao invés disso é um segundo atacante que pode cair por todos os lados do campo, e como o tricolor já utiliza a formação com dois atacantes, o jogador pode ser colocado em sua posição de origem auxiliando Luciano, que por sua vez, pode ser o mais avançado e centralizado do time.


Sem opção de comentar este post