NETFUT
Notícias de futebol

Os piores goleiros da história do São Paulo

Depois de ser eliminado pelo Fortaleza pelas quartas de final da Copa do Brasil, ficou clara demais a instabilidade em que vive o elenco do São Paulo. De lá pra cá, o time não conseguiu recuperar-se tecnicamente falando, deu alguns suspiros de esperança ao torcedor, com algumas rodadas no Brasileirão sem perder, mas novamente deixa a desejar mostrando um futebol extremamente frágil, diante da Chapecoense, no último domingo, mesmo sem perder o jogo.

Isso nos leva a pensar o que de fato precisa ser mudado na equipe?

O próprio torcedor já nos dá as respostas que queremos, quando sua insatisfação exige mudanças não só em peças no elenco, mas principalmente na defesa do São Paulo, a ponto de pedir que o reserva do time assuma a posição de arqueiro, que vem mostrando um rendimento em queda, e não é de agora.

Com essa queda de rendimento o torcedor deve ter tido alguns pesadelos com alguns nomes antigos que já defenderam a camisa tricolor, e por isso nós vamos relembrar os nomes desses sonhos, trazendo aqui 5 dos piores goleiros que já vestiram a camisa do São Paulo.

Sidão

Temos que começar sendo justos aqui. Nem sempre a imprensa foi honesta com Sidão. O jogador teve momentos bons e ruins, mas em seus momentos ruins houveram muitas críticas feitas de forma injusta e humilhante com o goleiro, e ninguém deveria passar por isso.

Dito isso, Sidão foi de fato um desastre em São Paulo. O goleiro chegou ao time como um pedido do na época treinador do time Rogério Ceni. A história é que Sidão chamou atenção por sua campanha como goleiro do Audax, na onde o goleiro mostrou habilidade jogando com os pés. 

Sidão, no entanto, não deu certo no tricolor nem com as mãos e nem com os pés, e acabou sendo transferido uma temporada depois de sua chegada.

Roberto Rojas

O São Paulo tem problemas com goleiros depois de Rogério e também tinha antes de Rogério. No ano de 1987, Roberto Rojas se tornou a bola da vez a assumir o gol tricolor. O jogador chegou com moral no Morumbi, mas nunca se firmou no time.

Para piorar tudo, o jogador teve um dos problemas mais bizarros da história do futebol. Rojas conseguiu ser banido do futebol por simular contusão em um jogo contra a seleção brasileira durante as Eliminatórias da Copa de 90. O caso ficou conhecido como fogueteira do Maracanã.

Vale citar que Rojas conseguiu voltar ao futebol como preparador de goleiros, e chegou a trabalhar no São Paulo.

Jean

E por falar em problemas extra campo, agora vamos falar de Jean. O jogador foi mais uma tentativa de preencher o vazio deixado por Rogério Ceni. O jogador chegou ao tricolor por um alto valor, deixando claro que sim, a ideia é que ele assumisse a titularidade e resolvesse o problema.

No entanto, o jogador teve falhas e claramente sentiu a pressão e foi aos poucos perdendo espaço no time. Outra coisa que ele perdeu foi a cabeça. O jogador não é conhecido por ser bom de elenco, sendo descrito como temperamental e explosivo, e claro, isso tudo foi somado a seus problemas na justiça que nem merecem ser citados aqui.

Alencar

Se você não é torcedor do São Paulo, você pode estar se perguntando “quem?”. Alencar jogou no São Paulo enquanto Rogério já estava lá, entre 99 e 2002, e mesmo do banco de reservas o goleiro conseguiu ganhar a antipatia da torcida por ter feito parte do 7 a 1 sofrido pelo Vasco no Brasileirão de 2002. O goleiro entrou após a expulsão de Rogério, e se atrapalhou todo no jogo.

Denis

Devemos deixar claro que não achamos Denis pior do que nenhum goleiro citado aqui, mas como sempre usamos expectativa como fator decisivo, Denis merece estar no topo da lista. O goleiro foi reserva de Rogério por anos e foi a primeira e óbvia escolha para o lugar do goleiro.

No entanto, Denis confundia os torcedores, hora fazendo defesas milagrosas mostrando uma explosão e velocidade sem igual, mas hora cometia erros em momentos decisivos, mostrando insegurança e posicionamento ruim.

De qualquer forma ele acabou não sendo o substituto de Ceni e saiu do clube pela porta dos fundos.