NETFUT
Notícias de futebol

“Eu não faço milagre”, diz Abel Ferreira após derrota do Palmeiras

O Palmeiras entrou em campo nesta quarta à noite em um dos clássicos mais tradicionais de todo o futebol paulista. Alguns torcedores já esperavam que o time entraria em campo misto, já com a cabeça na Libertadores, no entanto, existia a ala da torcida que acreditava que o time não deveria deixar de lado o Brasileirão, mesmo as chances sendo curtas, e que não gostaria de ver uma derrota tão próxima assim do jogo.

Esse torcedor sem sombra de dúvida deve ter se decepcionado, porque seus maiores pesadelos aconteceram na partida de ontem. O Verdão entrou sim misto como se esperava, o que não se esperava era que mesmo misto o time fosse tão dominado por um São Paulo que jogou o que não vinha jogando já a algum tempo.

Por conta da derrota acachapante sofrida pelo tricolor paulista na partida contra o Flamengo na rodada anterior, o Palmeiras esperava um São Paulo mais apático, nervoso, preocupado com a zona de rebaixamento, e talvez tenha sido exatamente isso que fez com que a equipe ligasse o alerta vermelho e jogasse ligada no 220.

33ª rodada do Brasileirão, Palmeiras 0 a 2 São Paulo – foto: reprodução CBF

O Palmeiras não conseguiu demonstrar metade do fôlego do São Paulo em campo, e acabou dominado, e o placar de 2 a 0 poderia ter sido bem maior. A torcida obviamente ficou na birra com o time. Alguns ainda esperam que, com todo o investimento feito e o tamanho do Palmeiras, o clube deveria poder disputar dois torneios simultâneos em alto nível.

Porém, Abel Ferreira parece não concordar muito com isso. Quando perguntado sobre o assunto, o treinador afirmou que existe um plano e que vão segui lo, e que graças ao calendário apertado, não há magia que possa ser feita para se manter tão bem em duas competições ao mesmo tempo.

– Temos um calendário de jogos seguidos e não faço milagres, não há magia. Da forma como está organizado o calendário, não há milagres. Sou pago para tomar decisões e sou eu que assumo a responsabilidade das minhas decisões. Temos um plano e vamos segui-lo até o fim, aconteça o que acontecer. Foi isto que deu alegria aos nossos adeptos, 21 anos depois (na Libertadores). Eu e estes jogadores, este grupo é o mesmo, regressaram só jogadores que estavam emprestados. Temos um plano e vamos segui-lo até o fim, completou Abel.

No fim, o jogo serviu para minar a confiança da torcida em alguns jogadores, como Luiz Adriano que saiu de campo vaiado, com a torcida cantando para que ele saia do clube e Patrick de Paula, que embora não seja titular é um jogador muito utilizado, o qual também foi muito vaiado graças a falha que originou em um dos gols do São Paulo.

Vale lembrar que o Verdão ainda tem dois compromissos no Brasileirão antes da grande final. Um deles é contra o Fortaleza neste sábado, e o outro é justamente contra o Atlético Mineiro, líder do torneio, o que vai colocar Abel em uma posição difícil na hora de escalar o time.