NETFUT
Notícias de futebol

Daniel Alves está de volta ao Barcelona. O que isso significa para ambos?

Daniel Alves está de volta ao Barcelona. Essa é uma contratação que todos já esperavam já que o jogador se auto promoveu como possível reforço do time por semanas, e provavelmente por semanas antes do próprio Barcelona fazer contato com o atleta.

É óbvio que quando o jogador ficou livre no mercado depois de todas as desventuras vividas aqui no Brasil com o São Paulo, e o Barcelona se mostrou na situação calamitosa que está hoje, a conexão entre as duas partes pareceu uma boa ideia para todos, porém, é uma conexão que expõe alguns esqueletos no armário das duas partes.

O Barcelona nunca superou a saída de Daniel Alves em primeiro lugar

Daniel Alves sem sombra de dúvidas é o maior lateral direito da história do Barcelona. Além de ser o mais premiado, nenhum outro lateral antes, ou com certeza depois, conseguiu ter uma conexão tão forte com o ataque, e sobretudo com Messi, o que fazia dessa parceria extremamente goleadora.

Depois de sua saída o Barça bem que tentou encontrar a reposição, mas assim como foi com Neymar, nunca encontraram a pessoa certa para o cargo. Sergi Roberto tentou e mesmo sendo ídolo da remontada contra o PSG acabou não sendo a mesma coisa, bem como Semedo que mesmo sendo lateral de origem, ficava no banco para as improvisações de Sergi Roberto. Isso faz com que o melhor lateral a jogar no Barça depois de Daniel Alves seja o próprio Daniel Alves, algo muito preocupante para um time do tamanho do Barcelona, e que parecia já prever os problemas de competência da diretoria do time catalão.

Daniel Alves nunca encontrou um novo lar como o antigo

Assim como o Barcelona nunca superou Daniel, Daniel também nunca pode superar seu antigo clube. É claro, o jogador foi vencedor por onde passou, porém nunca foi a mesma coisa. O jogador foi campeão nacional por equipes que têm o nacional como um mero detalhe já, como Juventus e PSG, mas nunca acabou durando nessas equipes, em parte por contratos, já que o jogador queria que fossem longos, algo que os clubes não confiaram o suficiente para lhe dar.

E nem precisamos falar que o São Paulo também passou longe de ser seu novo lar verdadeiro. Com isso, seu retorno ao Barcelona faz com que o círculo se feche, e o jogador volte ao único lugar onde realmente pareceu ser feliz de verdade.

O desespero silencioso das duas partes

No fim, se olharmos de perto, vamos perceber que os dois lados se juntaram pela pressa de conseguir objetivos desesperados.

O Barcelona precisa se reestruturar, e para isso quer jogadores que não apenas desempenhem em campo, mas também ajudem no vestiário, e Daniel sempre foi esse cara na equipe, e hoje sendo um lateral de 38 anos, dificilmente seria recontratado em outras circunstâncias.

E do lado do brasileiro, o desespero é a vontade de jogar sua última Copa do Mundo. O jogador sabe que a lateral direita do Brasil é precária, e por isso acredita que se jogar em alto nível no Barcelona, ou nem em tão alto nível assim, as suas chances de ser convocado são grandes.