NETFUT
Notícias de futebol

Como Tite poderia encaixar Neymar na seleção brasileira?

A seleção brasileira foi a campo contra o Paraguai essa semana encantou os olhos dos torcedores de uma forma que a seleção não conseguia fazer já a muito tempo. Quem viu o jogo ficou satisfeito com praticamente todos os jogadores em campo, e o futuro parece muito promissor.

No entanto, o futuro além de promissor nos faz lembrar que existe um outro jogador que ainda tem uma vaga cativa no time titular da seleção: Neymar.

O jogador está fora por lesão, mas certamente voltará para o time titular assim que retornar, e aí Tite vai ter uma super dor de cabeça para saber onde vai encaixar o atacante. E por isso trouxemos aqui algumas ideias para Tite resolver essa questão.

Neymar de falso 9

Vamos começar mexendo na formação do Brasil um pouco, mas não muito. Como sabemos, Neymar não é um jogador capaz de fazer o papel de um camisa 9, não tem o perfil, físico ou experiência para isso.

No entanto, o jogador já se mostrou capaz de jogar de falso 9, tendo feito isso tanto no Barcelona quanto também no próprio PSG, conseguindo aparecer de forma mais recuada, finalizando e conseguindo até armar o jogo para os companheiros, e com Coutinho próximo e Raphinha e Vini Jr. por perto, o Brasil talvez conseguisse finalmente ter a harmonia ofensiva que Tite busca a tanto tempo.

Nesse caso quem iria para o banco seria Matheus Cunha.

Neymar de meia armador

Outra função que Neymar desempenha bastante no PSG. O jogador apesar de ser driblador e finalizador, não podemos nos esquecer de seu talento de enxergar o jogo e sua qualidade de passe.

E ele poderia usar esse talento especial para servir os jogadores de ponta já citados, além de Matheus Cunha que é um jogador rápido, que poderia aproveitar alguns passes em profundidade, além de uma rápida troca de passes.

Nesse caso quem acabaria indo para o banco seria Philippe Coutinho, jogador que ainda está em processo de retorno para a seleção brasileira, portanto ficar um pouco no banco e ir entrando aos poucos conforme necessário não seria nada demais.

Segundo atacante

Existe também a possibilidade de uma mudança maior dentro do time. Com Tite jogando com Neymar mais próximo de algum outro atacante. Neste, Neymar jogaria próximo a um outro atacante, que poderia ser Matheus Cunha ou mesmo Gabigol, que é um atacante mais rápido.

E nesse caso quem acabaria saindo de cena é Raphinha, que é o menos acostumado a esse tipo de formação, mas podendo manter Vinicius Junior pela esquerda. É provável que Philippe Coutinho também tenha que sair para entrar alguém do perfil de Everton Ribeiro para jogar pela direita, mais como meia e menos como ponta.

No entanto, essa formação poderia manter Paquetá, e até permitir a entrada de Fred para movimentar o meio de campo brasileiro e ajudar tanto na marcação quanto na parte ofensiva. Porém essa seria a formação que mais mudaria a estrutura da seleção do último jogo que tanto agradou a torcida.