NETFUT
Notícias de futebol

Baixo rendimento do Grêmio, pode respingar consequências no Palmeiras

O Palmeiras é um time que tem bastante dinheiro, principalmente em relação à realidade financeira do futebol no nosso país. No entanto, isso não quer dizer que mais dinheiro não seja bem vindo. Na verdade, mesmo sendo uma patrocinadora bem generosa, o Palmeiras tem que lutar para se manter no azul, assim como qualquer clube deste país.

E é exatamente por isso que a equipe alviverde não deve estar nada feliz com a situação que o atacante Borja e o lateral Diogo Barbosa vem vivendo dentro do Grêmio nas últimas semanas. Isso mostra o que as consequências de um possível rebaixamento tricolor podem refletir no Verdão.

Acontece que em sua iniciativa para se livrar de alguns jogadores e ainda tentar recuperar parte do dinheiro investido em seu elenco, o Palmeiras acabou emprestando os jogadores a equipe do Grêmio.

Um deles é o lateral esquerdo Diogo Barbosa, que foi muito bem no Cruzeiro antes de ser comprado pelo Palmeiras, mas não funcionou no Verdão e o outro é Borja, que dispensa apresentações e os motivos de estar emprestado atualmente.

Borja

Borja tem 12 jogos pelo Grêmio até agora onde ele conseguiu marcar 4 gols. Apesar de não ser muito, ele é o artilheiro do tricolor dos pampas no Brasileirão, e seu contrato vai até o fim do ano que vem.

Com Borja a caminho, Grêmio promove reforma em seu elenco

Inicialmente o Palmeiras recebeu 6 milhões de reais pelo empréstimo, e colocou uma cláusula de opção de compra de mais 2,75 milhões de dólares, o que daria em torno de 15,5 milhões de reais. E se o jogador não começar a suar mais a camisa e ajudar o time a ficar na série A, é possível que o Grêmio não faça tal investimento.

Diogo Barbosa

Já no caso de Diogo Barbosa, o Grêmio e o Palmeiras chegaram ao acordo de que, caso o lateral atuasse em 50% das partidas do imortal esse ano, o time pagaria 750 mil euros, cerca de 4,9 de milhões de reais hoje, que compraria 12,5% dos direitos econômicos de Diogo.

É bem improvável que o jogador atinja tal marca, já que não tem sido utilizado. Até agora ele disputou apenas 23 jogos dos 60 que poderia ter realizado por opção dos treinadores, e com isso podemos afirmar que ele atuou em apenas 38,3% dos jogos.

O que torna as chances do jogador ser usado ainda mais difícil é o fato de que tanto Mancini agora, quanto Felipão antes estavam preferindo ou improvisar Rafinha na lateral esquerda ou utilizar Cortez, mostrando a falta de intenção do time em utilizar Diogo Barbosa apesar das adversidades.

Até o momento, o Verdão recebeu 10% de reais por ter vendido 25% dos direitos econômicos do lateral, o que aconteceu em setembro do ano passado, e parece que vai ficar apenas por isso mesmo.


Sem opção de comentar este post