NETFUT
Notícias de futebol

Atlético-MG segue fazendo acordos financeiros a fim de quitar dívidas antigas.

O Atlético Mineiro segue correndo atrás de honrar alguns compromissos antigos e não deixar nenhuma dividida para trás a fim de não deixar que elas se tornem grandes bolas de neve no futuro.

Dessa vez o clube se entendeu com o Avaí, time com o qual devia dinheiro que era referente a compra do jogador Guga, lateral direito que veio de lá para o Galo.

Leia: Dinheiro que se vai! Emerson Royal fecha com o Tottenham e faz Atlético-MG perder milhões

O Clube de Santa Catarina afirmava que o Atlético não havia pago todo o valor combinado pelo jogador, faltando a última parcela de todo o combinado, que deveria ter sido pago a quase 3 anos atrás, no fim de 2018.

A demora foi tanta, que o Avaí acabou acionando o Galo na Câmara Nacional de Resolução de Disputas para poder receber, isso no ano passado. O pedido era que o clube pagasse os valores atualizados e com juros. Segundo o próprio Atlético Mineiro, o valor da dívida acabou ficando acima da casa dos 2 milhões de reais.

No entanto, em nota o Atlético Mineiro informou que chegou a um acordo com o Avaí, e vai pagar o total de 1,3 milhão de reais. Desse valor, 500 mil reais já foram depositados na conta do time catarinense no dia 15 do mês passado e o restante será pago em “suaves” parcelas de 50 mil reais, totalizando 16 parcelas.

Na época do ocorrido, o presidente do Galo era Sérgio Satte Câmara, que ficou bem irritado com as cobranças recebidas do Avaí em relação a dívida chegando a dizer em tom de ameaça, que iria recorrer à justiça com esse caso, o que de fato aconteceu.

Essa é apenas mais uma tentativa do Atlético-MG de quitar suas dívidas antigas, para poder focar apenas no financeiro do presente, evitando também que problemas antigos cresçam e voltem para assombrar o time em uma situação onde o clube poderia ter pago X no começo e tenha que acabar pagando 3X no final.

O clube fez o mesmo com a dívida que tinha envolvendo o atacante Maicon Bolt.

O acordo entre as duas partes vai permitir que o Galo pague 7,5 milhões de reais ao jogador, ao invés dos 21 milhões que ele exigia e ainda pode parcelar a dívida em 35 “suaves” parcelas.

Boat havia acionado o Atlético na Justiça do Trabalho em fevereiro deste ano, quando foi dispensado do clube. E no caso de Bolt, tudo é um pouco mais complicado e confuso, isso porque o Atlético acreditava que o contrato com o jogador iria até o final de 2020, porém o jogador acreditava que iria até o final de 2021.

O próprio Atlético Mineiro, nessa tentativa de sanar dívidas feitas no passado e equilibrar seus objetivos financeiros, procurou o jogador para que eles pudessem sentar e conversar sobre o assunto. Isso aconteceu em junho deste ano, e após conversas e negociações, os dois lados acabaram entrando em um acordo sobre a quantia a ser paga.