NETFUT
Notícias de futebol

A Copa do Mundo é uma competição justa com treinadores?

A Copa do Mundo é sem sombra de dúvidas a taça mais cobiçada de todo o futebol. Por mais que jogadores sonham em vencer Libertadores ou Ligas dos Campeões, é muito difícil imaginar uma só criança que tenha sonhado em jogar futebol sem ter se imaginado levantando a taça da Copa.

No Entanto, precisamos lembrar que vivemos em um mundo de povos diferentes, culturas diferentes e realidades diferentes, e isso significa que para alguns jogadores, não importa o quanto tentem ou sejam bons, eles nunca irão vencer uma Copa do Mundo, já que boa parte da tarefa de vencer uma Copa, se faz nascendo no país certo e na geração certa.

Um bom exemplo disso é Lewandowski, sem dúvida um dos maiores atacantes da história do futebol que por ser Polonês, tem chances quase nulas de ser campeão de uma Copa do Mundo.

Mas não são apenas jogadores que são vítimas nessa história, temos que falar também dos treinadores. É bem verdade que os treinadores não precisam se limitar a seu país, e um treinador Polonês ou de qualquer outra nacionalidade sem muitos feitos no futebol pode acabar treinando uma seleção de peso pelo mundo e sendo campeão.

Porém, quando falamos sobre técnicos, a injustiça se dá através do formato das competições que as seleções jogam.

Temos que lembrar que as seleções vivem basicamente de jogos de mata-mata, salvo as eliminatórias que no Brasil são pontos corridos e na Europa se dá através de grupos. E com isso o que nós temos em mãos é um esquema de competição que acaba criando incongruências.

Como sabemos, uma competição de mata-mata nem sempre premia o melhor time, a melhor equipe, quem mais jogou bem. Uma bola é o suficiente para mudar a história de um jogo inteiro.

E por conta disso, existem trabalhos bons que podem parecer ruins e trabalhos ruins que podem passar como bons.

Um exemplo de cada lado, são as seleções do Brasil e de Portugal.

Foto: Amistoso Brasil x Portugal, ano 2013, técnico Luiz Felipe Scolari

O Brasil nas mãos de Tite tem apenas 5 derrotas desde que o treinador assumiu o comando, e é o líder isolado dessas eliminatórias sem nenhuma derrota. Um trabalho longínquo que, em uma competição de pontos corridos, seria campeão do mundo sem nenhuma dúvida.

Porém a queda para a Bélgica e a final da Copa América acabam dando uma impressão de que o trabalho é incompleto.

Do outro lado temos Portugal, que conseguiu ser campeão da Eurocopa e da Liga das Nações a pouco tempo atrás, passando a impressão de uma seleção forte e estruturada, o que se mostrou não ser verdade nessas eliminatórias, já que o time foi vítima do próprio veneno, caindo para a Sérvia e indo para a repescagem, correndo risco real de ficar de fora da Copa.

A seleção vem batendo cabeça, muito por conta do trabalho de Fernando Santos, é inconsistente e não consegue tirar o melhor de seus jogadores, principalmente Bruno Fernandes.

Porém, mesmo essa seleção consegue conquistar títulos, se aproveitando da estrutura da competição. Porém como justiça e futebol não são duas coisas que andam juntas, o que resta é esperar que a seleção brasileira entenda isso, e também que os torcedores entendam isso.